Informações(011)2176.7700
Tempo de atendimento Pronto-Socorro
18min
Resultado de Exames Pré-agendamento de consultas e exames
https://hsi.org.br/noticias-e-eventos/implante-percutaneo-de-protese-valvar-aortica-tavi-tecnologia-disruptiva-a-favor-dos-pacientes/

Implante Percutâneo de Prótese Valvar Aórtica (TAVI): Tecnologia disruptiva a favor dos pacientes

A valva aórtica, uma das quatro valvas cardíacas, localizada entre o ventrículo esquerdo e Aorta, tem papel primordial na circulação sanguínea do sistema arterial. A principal causa de sua disfunção é a degeneração, que ocorre principalmente por causa da calcificação e está intimamente relacionada com o envelhecimento. Esta degeneração se manifesta principalmente na forma de estenose valvar e cerca de 6% da população mundial com 75 anos de idade é portadora desta estenose na sua forma severa, com  prevalência aumentando exponencialmente com a idade.

O tratamento para esta doença é a troca valvar aórtica, originalmente realizada através de procedimento cirúrgico. Porém, pelo fato de ser uma doença que acomete preferencialmente idosos, muitos não tinham condição de ser submetido a esta modalidade de tratamento pelo risco cirúrgico relacionado à idade e suas comorbidades, e, até então, o que lhes restava era aguardar a história natural desta doença, que é inexoravelmente trágica.

Porém, em 2002 na França e posteriormente em 2008 no Brasil, foi realizada a primeira troca valvar aórtica pelo cateter, sem a necessidade da cirurgia convencional. Na sala de cateterismo, diante de equipe multidisciplinar, através de uma punção na artéria da virilha, se faz o implante da nova valva aórtica de maneira percutânea, possibilitando uma recuperação mais rápida e alta hospitalar mais precoce. Considerada uma das maiores evoluções modernas dentro da cardiologia, tornou possível o tratamento de pacientes que antes não tinham condições clínicas para a cirurgia.

A tecnologia evoluiu e a expertise da equipe multidisciplinar envolvida cresceu e atualmente, em centros hospitalares de grande volume neste tipo de procedimento, a TAVI tem sido realizada com sedação superficial, sem anestesia geral, sem intubação orotraqueal, com permanência média de apenas 1-2 dias na UTI e 1-2 dias no apartamento, possibilitando a alta hospitalar precoce, inaugurando a era das TAVIs minimalista ou minimamente invasivas. Esta evolução tem permitido o tratamento da estenose valvar aórtica em pacientes cada vez com menor risco cirúrgico.

A equipe do Hospital Santa Isabel está preparada para o atendimento e tratamento percutâneo não só da estenose valvar aórtica, como também de diversas outras afecções estruturais cardíacas e demais doenças cardíacas nos seus mais variados graus de complexidade.

Dr. José Mariani Jr.
CRM: 79810

Hospital Santa Isabel

Rua Dona Veridiana, 311 - Higienópolis - São Paulo/SP

(11) 2176.7700

Centro Médico e de Medicina Diagnóstica

Rua Dona Veridiana, 311 - Higienópolis - São Paulo/SP

(11) 2176.7135